segunda-feira, novembro 20, 2017

Como buscar Peças Raras neste blog

Na parte superior desta página, você encontra uma caixa de busca, conforme ilustração abaixo (no celular, é preciso alterar para "versão para web"):


Se procura por algum programa específico ou tema relacionado ao rádio, nesse espaço digite exatamente o que deseja ouvir. Sua pesquisa terá um melhor resultado se você colocar este assunto entre aspas. Depois, é só dar "enter" e divertir-se.

Boa viagem pelas ondas do rádio.

Fique em sintonia com nossas peças raras também em:










Abaixo, você encontra uma série de episódios do podcast Peças Raras. Divirta-se!

Mitologia dos Orixás: os deuses da mitologia africana combatem intolerância


Há um mês, entrevistei o Professor titular de Sociologia da Universidade de São Paulo (USP) e escritor, Reginaldo Prandi. Foi uma tarde incrivelmente agradável e de grandes descobertas para mim. Posso afirmar que estive diante de um universo que desconhecia e que gostei muito do papo (ele está neste link).

Além do conteúdo que você acompanha na conversa para o NET Educação, do Intituto NET Claro Embratel, projeto premiado para o qual desenvolvo podcasts desde 2012, preparei (de forma amadora: sem muitos recursos técnicos, mas com muito amor) este vídeo em que Prandi narra os perfis dos principais orixás. Acompanhe no player abaixo:






Prandi começou a se dedicar à Sociologia das religiões em 1971, no CEBRAP – Centro Brasileiro de Análise e Planejamento. Lá havia grupos que estudavam diferentes setores da sociedade e Prandi ficou no responsável pelas pesquisas das religiões brasileiras, onde fez levantamento daquelas de origem africana.
Anos depois, já na livre-docência, o sociólogo fez uma incursão por 60 terreiros localizados na cidade de São Paulo. “Essas religiões se baseiam no conhecimento oral e grande parte desse conhecimento são mitos dos orixás, que foram mantidos vivos no Brasil com a chegada dos escravos, que traziam a sua própria cultura”, afirma Prandi.   
  
Com mais de 30 livros publicados, com destaque para “Mitologia dos orixás”, o autor escreveu alguns títulos para o público infantojuvenil. O objetivo é popularizar esse tipo de assunto e tornar os personagens mitológicos mais conhecidos, auxiliando crianças e jovens a perceberem e a assimilarem as diferenças. De acordo com ele, os orixás permitem que se trabalhe a diversidade cultural, já que “cada um deles está ligado à natureza e, ao mesmo tempo, cuida de algum aspecto que faz parte da nossa vida em sociedade e, às vezes, até aspectos da constituição do indivíduo”.

Apresentar os orixás por meio da mitologia é uma forma de combater o preconceito, ao mostrar que o Brasil é muito plural quando se trata de cultura. “Você tem outras formas de enxergar a vida, de enxergar a morte, como é que o mundo se organiza, outras versões para a criação e o fim do mundo, tudo isso mostra que nós não somos um monolito cultural”.

Entidades das religiões afro-brasileiras, os orixás, trazem além de sua mitologia uma extensa representatividade cultural expressa em vestes, danças, pratos e sonoridades. Em visitas a escolas para conversar com alunos e pais, Prandi se depara com diferentes trabalhos realizados a partir de seus livros. “Há escolas que fazem cenários, outras que fazem as comidas que são narradas”.
Reginaldo Prandi ressalta que os livros que escreve não devem ser vistos com enfoque na religião, quando estudados na escola, mas sim pelo viés da Cultura. “Escola não é lugar de religião. Religião é uma escolha pessoal, de herança familiar”, conclui.

Em três volumes destinados a crianças e jovens, Prandi apresenta a mitologia básica de todos os principais orixás cultuados no Brasil: Exu, Ogum, Oxóssi, Logum Edé, Ossãe, Omulu, Nanã, Oxumarê, Euá, Xangô, Obá, Iansã, Oxum, Ibejis, Iemanjá, Oxaguiã, Ifá, Ajalá, Odudua e Oxalá.

sexta-feira, novembro 10, 2017

APCA divulga lista de indicados aos melhores de 2017 na categoria Rádio; confira

Na foto, o troféu APCA


(texto do blog Rádio Base)

O júri de Rádio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), entidade com 61 anos de história, definiu nesta sexta feira, dia 10 de novembro de 2017, os programas e os radialistas  indicados para receber o prêmio da categoria, cuja escolha acontecerá em assembleia da associação no começo de dezembro, em São Paulo. Nesta relação são citados cerca de 40 artistas e profissionais de comunicação, que concorrem aos troféus, de acordo com sua função, sejam tanto em emissoras de rádio AM e FM, como em produções radiofônicas exclusivamente veiculadas pela internet. Desta vez, há radialistas indicados em cinco das sete categorias. Os premiados com a "Homenagem Especial" e o "Grande Prêmio da Crítica" serão escolhidos no dia da votação. 

Esta é a segunda vez que os membros do júri de Rádio adotam esta lista, que tem o intuito de valorizar ainda mais o trabalho do profissional do meio. A exemplo do ano passado, os membros do júri optaram por não ter uma categoria específica para premiar trabalhos na internet, que neste ano tem cinco indicados. Também não haverá o prêmio para conteúdo esportivo, uma vez que o trabalho dos jornalistas deste setor é tão importante quanto o dos demais profissionais de imprensa de outras áreas, na avaliação dos jurados. 

A entrega dos troféus aos premiados pela APCA nas doze categorias - Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura, Moda, Música Popular, Música Erudita, Teatro Adulto, Teatro Infantil e Televisão, além de Rádio - deverá acontecer no primeiro semestre de 2018, também na capital paulista. 

INDICADOS AO PRÊMIO APCA 2017 NA CATEGORIA RÁDIO

Prêmio Especial do Júri:
Transmissão do "Festival João Rock", ao vivo pelo rádio e pelas redes sociais - 89 FM 
"Quarto Fórum Mitos e Fatos - A Jovem Pan discute a Justiça Brasileira" - Rede Jovem Pan
"Quem Torce com Inteligência Não Tabela Com a Violência", campanha contra a violência nos estádios de futebol - Transamérica Pop
"Transplante feito de música" - Campanha de doação de órgãos da Jovem Pan FM de Curitiba-PR
"A Nova Brasil tirou o sangue das músicas" - Campanha de doação de sangue da Rede Nova Brasil FM
"Mulheres Caladas", série de comerciais de 30 segundos criada pela agência de publicidade Scala RS para a organização não governamental Themis

Produtor (musical):
Amorim Filho e Expedito Duarte - "Forró Nativa", Nativa FM
Clemente Nascimento - "Filhos da Pátria", Kiss FM
Gilberto Fernandes - "Arquivo Musical", Rádio Bandeirantes
Maurício Valladares - "Ronca Ronca", Rádio Globo
Oswaldo Luiz "Colibri" Vitta - "Hora do Rango", Rádio Brasil Atual
Paulinho Rosa - "Vira e Mexe", USP FM
Rodrigo Barros e Samuel Lago - "Radio Caos Podcast" (www.radiocaos.com.br)
Samuel Canale - "Rock Sem Fronteiras", Kiss FM

Produtor (entretenimento):
Antonio Viviani e Nicolla Lauretta - "Voz Off" (www.radiofobia.com.br)
Cido Tavares e Cláudia Lieri - "Interação!", USP FM
Gui Tsubota - "Geek Rock", 89FM
João Carlos Santana - por "Música e Dinheiro" (www.letraselucros.com.br)
Marcelo Duarte - "É Brasil Que Não Acaba Mais", Band News FM

Produtor (jornalismo):
João Barretto - "De Primeira", Rádio Bandeirantes
Joyce Murasaki - "CBN Brasil", CBN
Carlos Sílvio - "Paiaiá na Conectados", (www.radioconectados.com.br)
Heloísa Granito - "Via Sampa", USP FM
Letícia Kuratomi - "Jornal Band News, com Ricardo Boechat - 7h30", Band News FM
Lucas Ito - "Transamérica Esportes", Transamérica FM
Maurício Bastos - "Futebol à Manivela", Rádio Globo
Silvania Alves - "Jornal Gente" e "O Pulo do Gato", Rádio Bandeirantes

Melhor apresentador:
Dudu Braga - "As Canções Que Você Fez Pra Mim", Nativa FM
Eli Correia - "Que Saudade de Você" (Programa Eli Correia - Rádio Capital)
Júlio Medaglia - "Fim de Tarde", Cultura FM
Luciano Faccioli - "Programa Luciano Faccioli", (www.estacaoi.com.br)
Kaká Siqueira - "Tarde Tropical", Tropical FM
Roberto Canázio - "Revista Rádio Globo", Rádio Globo
Tatiana Vasconcellos - "Estúdio CBN", CBN

Homenagem Especial: ganhador será conhecido no dia da votação

Grande Prêmio da Crítica: também será escolhido pelo júri no dia da eleição.